5/16/2007

"A novidade é o máximo! Um paradoxo estendido na areia..."

Abro minha antiga nova porta e eis que encontro,
sobre o chão de sempre; O Novo...

Não sei de mais nada, não sei quem, não sei como... seria um vento que entrou por alguma fresta que deixei aberta?

Uma luz, uma sombra?
Uma idéia que deixei acordada durante uma noite inteira?
Uma carta mágica, uma poesia encantada invadindo minha casa, uma surpresa...

Tudo pode acontecer desde agora para frente...

...experimentando meu próprio doce...



Gênero poesia

Para Alex Wild, seus silêncios e seus espelhos
pra você, no seu próprio estilo...



Atordoada

Você é cínico e lindo
Sempre faz uma cena
É delirante, monocromático
Não é nada que você parece

Eu estou me afogando em sua vaidade
Seu riso é uma doença
Você é sujo... Você é doce
E sabe que é tudo pra mim

Tudo o que você é
Cai do céu... é estrela
Tudo o que você é
Sempre que, sempre que...

Eu quero chutar sua máquina
Jogar fora todos seus sonhos
Destruir suas defesas
até não sobrar nada
somente eu

Você é lindo quando está nervoso
Bravo por ser belo
Seu amor é tal brincadeira
Eu estou me afogando
em seu barulho atordoado

Quero o sentir do seu grito

Tudo o que você é
Quedas do céu como uma estrela
Tudo o que você é
Tudo que sempre você foi


Pós poesia:
Eu me entreguei secreta e delirante,
ao menino do olhar que penetra já de saida,
...sua personalidade encantadora
e ele nem sabe disso, sabe Alex?!

3 comentários:

Anônimo disse...

que honra ver um texto meu no seu blog! nao sabia que iria repercutir tao longe.

quer pistas pra saber quem sou?

acho que vc chega lá!
rs
beijos

gah disse...

nooossa!
era pra arrepiar msm?!!

saudades daki...rs

bjs
***

Paranhos disse...

Olá! Noutra hora eu escrevo alguma coisa concreta.