11/20/2007

Lá do fundo da gaveta vêm as teias, mas já sem as aranhas...



Há alguns anos...
Pedra dos Tempos




Tempo!
“Nessa chuva de desafetos, dissolvem-se belezas, e as vãs alegrias, pois o belo por essência é em pedra esculpido, não em barro moldado!” – Não sei de quem. Meu? Não sei mesmo!


Um hippie disse assim:


“A essência perfuma a flor
pois as aparências
perdem-se
com a chuva
do tempo...”


E me vendeu um incenso de rosas selvagens.


Daí eu:


Numa noite sem medos
joguei uma pedra na vidraça...
Quebrei meu reflexo!
E ainda refletia...
Mil de mim, em mil partes dela
Mostrei quem era mais duro...
Intacto, eu mudei o mundo!
...

2 comentários:

Anônimo disse...

não esqueço nunca......

Ja me esqueci disse...

acabei de ver vc online no msn

mas vc esta bloqueado

...no msn

nao posso falar com vc

nao sei mais nada